OBR 2015

A Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) estabelece anualmente uma tarefa, e os alunos deverão construir robôs que atendam a esta tarefa, neste caso utilizando a plataforma Lego e Java. A OBR possui duas modalidades que procuram adequar públicos distintos que viram ou não robótica. A Modalidade Prática possui dois níveis distintos: Nível 1: voltada aos alunos do atual ensino fundamental de 9 anos aprovado pelas diretrizes do MEC ou equivalente; Nível 2: voltada aos alunos do ensino médio, técnico (ou equivalente), incluindo alunos matriculados em cursinho pre-vestibular (em Instituição de Ensino) que não estejam cursando ou tenham sido aceitos em qualquer curso de terceiro grau; As equipes são compostas por grupos de 4 alunos, alunos de um mesmo nível e cada aluno só poderá fazer parte de uma equipe. A modalidade Prática é dividida em duas fases: A primeira fase deve ser realizada na instituição-sede da modalidade prática do estado do aluno. A segunda fase (etapa nacional) será disputada pelas melhores equipes de cada estado e será realizada em conjunto com a Competição Brasileira de Robótica (CBR). As regras da modalidade prática seguem as regras da RoboCup® Junior Rescue A. A missão se caracteriza por simular um ambiente de desastre em mundo real onde o resgate de vítimas precisa ser feito por robôs. Em um ambiente hostil, o robô precisa ser completamente autônomo para cumprir sua missão de seguir uma trilha cheia de obstáculos e desafios. O robô terá que ser ágil para superar terreno hostil (redutores de velocidade) sem ficar preso; atravessar terrenos desconhecidos (gaps na linha) onde a trilha não pode ser reconhecida; desviar de escombros (obstáculos) e subir montanhas (rampa) para conseguir salvar a vitima (lata de refrigerante), transportando-a para uma área segura (ponto de evacuação) onde os humanos podem assumir os cuidados da vítima.

OBR – Cyber Hawking

A Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) estabelece anualmente uma tarefa, e os alunos deverão construir robôs que atendam a esta tarefa, neste caso utilizando a plataforma Gogo Board e Blocos. A OBR possui duas modalidades que procuram adequar públicos distintos que viram ou não robótica. A Modalidade Prática possui dois níveis distintos: Nível 1: voltada aos alunos do atual ensino fundamental de 9 anos aprovado pelas diretrizes do MEC ou equivalente; Nível 2: voltada aos alunos do ensino médio, técnico (ou equivalente), incluindo alunos matriculados em cursinho pre-vestibular (em Instituição de Ensino) que não estejam cursando ou tenham sido aceitos em qualquer curso de terceiro grau; As equipes são compostas por grupos de 4 alunos, alunos de um mesmo nível e cada aluno só poderá fazer parte de uma equipe. A modalidade Prática é dividida em duas fases: A primeira fase deve ser realizada na instituição-sede da modalidade prática do estado do aluno. A segunda fase (etapa nacional) será disputada pelas melhores equipes de cada estado e será realizada em conjunto com a Competição Brasileira de Robótica (CBR). As regras da modalidade prática seguem as regras da RoboCup® Junior Rescue A. A missão se caracteriza por simular um ambiente de desastre em mundo real onde o resgate de vítimas precisa ser feito por robôs. Em um ambiente hostil, o robô precisa ser completamente autônomo para cumprir sua missão de seguir uma trilha cheia de obstáculos e desafios. O robô terá que ser ágil para superar terreno hostil (redutores de velocidade) sem ficar preso; atravessar terrenos desconhecidos (gaps na linha) onde a trilha não pode ser reconhecida; desviar de escombros (obstáculos) e subir montanhas (rampa) para conseguir salvar a vitima (lata de refrigerante), transportando-a para uma área segura (ponto de evacuação) onde os humanos podem assumir os cuidados da vítima.

OBR – Jaguatirica Guerreira

A Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) estabelece anualmente uma tarefa, e os alunos deverão construir robôs que atendam a esta tarefa, neste caso utilizando a plataforma Gogo Board e Blocos. A OBR possui duas modalidades que procuram adequar públicos distintos que viram ou não robótica. A Modalidade Prática possui dois níveis distintos: Nível 1: voltada aos alunos do atual ensino fundamental de 9 anos aprovado pelas diretrizes do MEC ou equivalente; Nível 2: voltada aos alunos do ensino médio, técnico (ou equivalente), incluindo alunos matriculados em cursinho pre-vestibular (em Instituição de Ensino) que não estejam cursando ou tenham sido aceitos em qualquer curso de terceiro grau; As equipes são compostas por grupos de 4 alunos, alunos de um mesmo nível e cada aluno só poderá fazer parte de uma equipe. A modalidade Prática é dividida em duas fases: A primeira fase deve ser realizada na instituição-sede da modalidade prática do estado do aluno. A segunda fase (etapa nacional) será disputada pelas melhores equipes de cada estado e será realizada em conjunto com a Competição Brasileira de Robótica (CBR). As regras da modalidade prática seguem as regras da RoboCup® Junior Rescue A. A missão se caracteriza por simular um ambiente de desastre em mundo real onde o resgate de vítimas precisa ser feito por robôs. Em um ambiente hostil, o robô precisa ser completamente autônomo para cumprir sua missão de seguir uma trilha cheia de obstáculos e desafios. O robô terá que ser ágil para superar terreno hostil (redutores de velocidade) sem ficar preso; atravessar terrenos desconhecidos (gaps na linha) onde a trilha não pode ser reconhecida; desviar de escombros (obstáculos) e subir montanhas (rampa) para conseguir salvar a vitima (lata de refrigerante), transportando-a para uma área segura (ponto de evacuação) onde os humanos podem assumir os cuidados da vítima.

OBR – Marvin RDL

A Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) estabelece anualmente uma tarefa, e os alunos deverão construir robôs que atendam a esta tarefa, neste caso utilizando a plataforma Arduino e programação C. A OBR possui duas modalidades que procuram adequar públicos distintos que viram ou não robótica. A Modalidade Prática possui dois níveis distintos: Nível 1: voltada aos alunos do atual ensino fundamental de 9 anos aprovado pelas diretrizes do MEC ou equivalente; Nível 2: voltada aos alunos do ensino médio, técnico (ou equivalente), incluindo alunos matriculados em cursinho pre-vestibular (em Instituição de Ensino) que não estejam cursando ou tenham sido aceitos em qualquer curso de terceiro grau; As equipes são compostas por grupos de 4 alunos, alunos de um mesmo nível e cada aluno só poderá fazer parte de uma equipe. A modalidade Prática é dividida em duas fases: A primeira fase deve ser realizada na instituição-sede da modalidade prática do estado do aluno. A segunda fase (etapa nacional) será disputada pelas melhores equipes de cada estado e será realizada em conjunto com a Competição Brasileira de Robótica (CBR). As regras da modalidade prática seguem as regras da RoboCup® Junior Rescue A. A missão se caracteriza por simular um ambiente de desastre em mundo real onde o resgate de vítimas precisa ser feito por robôs. Em um ambiente hostil, o robô precisa ser completamente autônomo para cumprir sua missão de seguir uma trilha cheia de obstáculos e desafios. O robô terá que ser ágil para superar terreno hostil (redutores de velocidade) sem ficar preso; atravessar terrenos desconhecidos (gaps na linha) onde a trilha não pode ser reconhecida; desviar de escombros (obstáculos) e subir montanhas (rampa) para conseguir salvar a vitima (lata de refrigerante), transportando-a para uma área segura (ponto de evacuação) onde os humanos podem assumir os cuidados da vítima.

OBR – Mec Gyvers

A Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) estabelece anualmente uma tarefa, e os alunos deverão construir robôs que atendam a esta tarefa, neste caso utilizando as plataformas PicStamp, Pop2a e programação C. A OBR possui duas modalidades que procuram adequar públicos distintos que viram ou não robótica. A Modalidade Prática possui dois níveis distintos: Nível 1: voltada aos alunos do atual ensino fundamental de 9 anos aprovado pelas diretrizes do MEC ou equivalente; Nível 2: voltada aos alunos do ensino médio, técnico (ou equivalente), incluindo alunos matriculados em cursinho pre-vestibular (em Instituição de Ensino) que não estejam cursando ou tenham sido aceitos em qualquer curso de terceiro grau; As equipes são compostas por grupos de 4 alunos, alunos de um mesmo nível e cada aluno só poderá fazer parte de uma equipe. A modalidade Prática é dividida em duas fases: A primeira fase deve ser realizada na instituição-sede da modalidade prática do estado do aluno. A segunda fase (etapa nacional) será disputada pelas melhores equipes de cada estado e será realizada em conjunto com a Competição Brasileira de Robótica (CBR). As regras da modalidade prática seguem as regras da RoboCup® Junior Rescue A. A missão se caracteriza por simular um ambiente de desastre em mundo real onde o resgate de vítimas precisa ser feito por robôs. Em um ambiente hostil, o robô precisa ser completamente autônomo para cumprir sua missão de seguir uma trilha cheia de obstáculos e desafios. O robô terá que ser ágil para superar terreno hostil (redutores de velocidade) sem ficar preso; atravessar terrenos desconhecidos (gaps na linha) onde a trilha não pode ser reconhecida; desviar de escombros (obstáculos) e subir montanhas (rampa) para conseguir salvar a vitima (lata de refrigerante), transportando-a para uma área segura (ponto de evacuação) onde os humanos podem assumir os cuidados da vítima.

OBR – Regulus

A Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) estabelece anualmente uma tarefa, e os alunos deverão construir robôs que atendam a esta tarefa, neste caso utilizando a plataforma Lego e Java. A OBR possui duas modalidades que procuram adequar públicos distintos que viram ou não robótica. A Modalidade Prática possui dois níveis distintos: Nível 1: voltada aos alunos do atual ensino fundamental de 9 anos aprovado pelas diretrizes do MEC ou equivalente; Nível 2: voltada aos alunos do ensino médio, técnico (ou equivalente), incluindo alunos matriculados em cursinho pre-vestibular (em Instituição de Ensino) que não estejam cursando ou tenham sido aceitos em qualquer curso de terceiro grau; As equipes são compostas por grupos de 4 alunos, alunos de um mesmo nível e cada aluno só poderá fazer parte de uma equipe. A modalidade Prática é dividida em duas fases: A primeira fase deve ser realizada na instituição-sede da modalidade prática do estado do aluno. A segunda fase (etapa nacional) será disputada pelas melhores equipes de cada estado e será realizada em conjunto com a Competição Brasileira de Robótica (CBR). As regras da modalidade prática seguem as regras da RoboCup® Junior Rescue A. A missão se caracteriza por simular um ambiente de desastre em mundo real onde o resgate de vítimas precisa ser feito por robôs. Em um ambiente hostil, o robô precisa ser completamente autônomo para cumprir sua missão de seguir uma trilha cheia de obstáculos e desafios. O robô terá que ser ágil para superar terreno hostil (redutores de velocidade) sem ficar preso; atravessar terrenos desconhecidos (gaps na linha) onde a trilha não pode ser reconhecida; desviar de escombros (obstáculos) e subir montanhas (rampa) para conseguir salvar a vitima (lata de refrigerante), transportando-a para uma área segura (ponto de evacuação) onde os humanos podem assumir os cuidados da vítima.