OBR 2015

A Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) estabelece anualmente uma tarefa, e os alunos deverão construir robôs que atendam a esta tarefa, neste caso utilizando a plataforma Lego e Java. A OBR possui duas modalidades que procuram adequar públicos distintos que viram ou não robótica. A Modalidade Prática possui dois níveis distintos: Nível 1: voltada aos alunos do atual ensino fundamental de 9 anos aprovado pelas diretrizes do MEC ou equivalente; Nível 2: voltada aos alunos do ensino médio, técnico (ou equivalente), incluindo alunos matriculados em cursinho pre-vestibular (em Instituição de Ensino) que não estejam cursando ou tenham sido aceitos em qualquer curso de terceiro grau; As equipes são compostas por grupos de 4 alunos, alunos de um mesmo nível e cada aluno só poderá fazer parte de uma equipe. A modalidade Prática é dividida em duas fases: A primeira fase deve ser realizada na instituição-sede da modalidade prática do estado do aluno. A segunda fase (etapa nacional) será disputada pelas melhores equipes de cada estado e será realizada em conjunto com a Competição Brasileira de Robótica (CBR). As regras da modalidade prática seguem as regras da RoboCup® Junior Rescue A. A missão se caracteriza por simular um ambiente de desastre em mundo real onde o resgate de vítimas precisa ser feito por robôs. Em um ambiente hostil, o robô precisa ser completamente autônomo para cumprir sua missão de seguir uma trilha cheia de obstáculos e desafios. O robô terá que ser ágil para superar terreno hostil (redutores de velocidade) sem ficar preso; atravessar terrenos desconhecidos (gaps na linha) onde a trilha não pode ser reconhecida; desviar de escombros (obstáculos) e subir montanhas (rampa) para conseguir salvar a vitima (lata de refrigerante), transportando-a para uma área segura (ponto de evacuação) onde os humanos podem assumir os cuidados da vítima.

APLICAÇÃO DE UM INTERRUPTOR CREPUSCULAR EM AMBIENTE INDUSTRIAL

Com o crescente aumento nas tarifas de energia elétrica e o aumento da conscientização da economia de energia, torna-se importante a automação de sistemas de iluminação e de acionamento de equipamentos elétricos Analisando esses aspectos, o presente projeto foi desenvolvido pensando, primeiramente, na economia de energia no setor industrial e de serviços. Para demonstração, utilizou-se uma maquete de uma indústria com motores e lâmpadas LEDs que simulam os equipamentos e sistema de iluminação da fábrica. De uma maneira simples e eficaz, utiliza-se o sensor LDR, que apresenta alta sensibilidade ao nível de luminosidade, associado a um circuito de potência para a automação de sistemas de iluminação e equipamentos elétricos, podendo-se controlar, circuitos de alta correntes, proporcionando a otimização do consumo elétrico, associado à utilização de uma placa de controle  para controlar a intensidade da luz.

AUTOMAÇÃO E CONTROLE DE UM CHUVEIRO RESIDENCIAL

Dono do maior potencial hídrico do planeta, o Brasil corre o risco de ter seus problemas de abastecimento de água agravados devido a má utilização desse recurso natural.  Propõe-se então o projeto de um chuveiro automático que tem por objetivo controlar o consumo de água durante o banho, resultando, essencialmente, em economia de água.

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL: DESENVOLVIMENTO DE UM PROTÓTIPO DE “CASA INTELIGENTE”

Uma “Casa Inteligente” é um espaço residencial onde se encontram soluções integradas baseadas em tecnologias de automação. O objetivo da “Casa Inteligente” é facilitar a vida do proprietário, resultando em praticidade no cotidiano e economia de energia. O projeto da “Casa Inteligente” é equipado com sensores de presença, que acendem alguns LEDs na presença de algo e apagam quando não há nenhuma presença e um sensor de chuva que aciona servos motores para fechar a janela na presença de água.

AUTOMAÇÃO DE TRANSPORTE E SELEÇÃO DE PEÇAS

A necessidade de se automatizar processos, eliminando a mão de obra é um fato que já está ocorrendo na maioria das indústrias. É essencial para qualquer empresa eliminar qualquer tipo de gastos para que o lucro seja máximo. Visto isso, o projeto apresenta um sistema de transporte e seleção de peças industriais, buscando eliminar a necessidade de um funcionário para a tarefa, que se torna repetitiva e com possibilidade de lesões por esforços repetitivos. A automação do processo de transporte de peças de um setor ao outro tem como objetivo proporcionar redução de custos e no tempo de deslocamento dos materiais.

AUTOMAÇÃO DE UM AQUÁRIO

Os peixes ornamentais necessitam de um ambiente especial para a sua sobrevivência. Com isso, propôs-se o desenvolvimento de um sistema automático para controle dos parâmetros da água e da alimentação para proporcionar um ambiente ideal aos peixes, além de facilitar o cuidado e manutenção do aquário.

AUTOMAÇÃO DE UM BERÇO INFANTIL

Cuidar de um bebê pode ser uma tarefa trabalhosa que pode demandar um enorme esforço pessoal. Pensando-se nisso, o projeto propõe o desenvolvimento de um berço automatizado, projetado para balançar o bebê até ele dormir caso acorde chorando e se movimentando. Este processo é realizado através de um sensor de movimento, que detecta os movimentos inquietos do bebê. O berço começa a se movimentar de um lado para o outro a cada 2 segundos, velocidade na qual o bebê parece dormir mais rápido, ajudando a tranquiliza-lo e devolvê-lo rapidamente ao seu sono. Para evitar que o berço se movimente sem necessidade, o sistema é configurado para iniciar a movimentação caso o bebê se movimente por mais de 10 segundos continuamente. Uma placa sonora com música relaxante também acionada caso o bebê se movimente.

AUTOMAÇÃO DE UM PORTÃO POR RECONHECIMENTO ELETRÔNICO

O uso de portões eletrônicos pode ser visto por muitos como pura conveniência para os dias de chuva ou frio, mas também pode ser usado como estratégia de segurança para evitar roubos ao entrar ou sair de residências ou estabelecimentos comerciais. O projeto apresenta o desenvolvimento de um protótipo de um portão por reconhecimento eletrônico com a identificação do veículo do proprietário previamente configurado, abrindo para que o morador possa entrar com mais facilidade e que também possa funcionar como sistema de segurança caso alguém queira fazer um acesso indevido ao interior da residência ou se outro carro estiver na frente da garagem obstruindo-a, dessa forma, disparando um alarme.

COMPUTAÇÃO EMBARCADA: DESENVOLVIMENTO DE PROTÓTIPO PARA MONITORAMENTO REMOTO ATRAVÉS DE VEÍCULO NÃO TRIPULADO USANDO TECNOLOGIAS ANDROID E CELULAR

A utilização de Veículo Não Tripulado (VNT) tem contribuído com novas possibilidades de soluções em diversas áreas como monitoramento de desmatamento e controle de doenças em plantas, acompanhamento de obras na construção civil, aplicações na área militar, entretenimento entre outras, tendo sua aplicação ampliada com a integração de  tecnologias como computação, telecomunicações, controle e sistemas de visão.

DESENVOLVIMENTO DE UM PROTÓTIPO DE VEÍCULO GUIADO AUTOMATICAMENTE

A aplicação de veículos auto guiados (AGVs) em ambiente industrial possibilita maior flexibilidade de produção e menor número de acidentes em operações de alto risco em pequenas e médias empresas. O escopo deste projeto visa o desenvolvimento de um veículo veiculo guiado automaticamente para a gestão e logística de materiais seguindo um traçado pré-determinado, ou seja, utilizando uma rotina onde ocorre a identificação do material (RFID) e armazenamento em seu respectivo local.